Michel Temer mantém apoios políticos em troca de cargos federais em Sergipe


Autarquias e representações da União no estado já estão nas mãos de poucos parlamentares

Anderson Christian

politica@cinform.com.br

INSS é exemplo de superintendência nomeada por aliados

Pense rápido: quem ocupa os cargos nomeados pelo presidente da República, Michel Temer, PMDB, em Sergipe? A resposta tem um quê de óbvia: os aliados, especialmente os parlamentares federais. Mas em tempos de tantas votações polêmicas, caso da reforma trabalhista, da admisbilidade de julgamento de Michel Temer, da reforma da previdência, a “dança das cadeiras” nesses cargos é uma realidade.

A reportagem do CINFORM fez um levantamento em 13 órgãos, autarquias e representações do Governo Federal e descobriu que, majoritariamente, o deputado federal André Moura, PSC, líder do Governo no Congresso, é o campeão das indicações.

E mesmo que desde abril deste ano o próprio presidente tenha assinado decreto garantindo que 60% dos cargos de alto escalão da Administração Pública federal devam ser ocupados por servidores de carreira, ainda existem espaços que são preenchidos por critérios mais políticos do que técnicos.

EXEMPLOS

Em Sergipe, focando em alguns exemplos, vale destacar o caso da Secretaria do Ministério da Agricultura, atualmente ocupada por Everaldo Oliveira, ex-prefeito de Poço Verde e aliado de André Moura. Everaldo não é funcionário do Ministério, mas ocupa o comando estadual do órgão.

Já no Departamento Nacional de Infraestrutura – Dnit – Alexandre Monteiro da Cunha, indicado do deputado Adelson Barreto, PR, tem sua “cabeça à prêmio”, desde que o deputado votou contrário à reforma trabalhista. Mas, até o momento, sua exoneração não foi publicada. Ressalte-se que Alexandre é funcionário de carreira do Dnit.

E mais dois exemplos podem ser contabilizados para dar um panorama claro de como as coisas funcionam nesse toma-lá-da-cá na definição de quem comanda o quê em cada Estado. O deputado federal Valadares Filho, PSB, também perdeu os cargos que havia nomeado no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan – ao votar contra a mesma reforma. E o senador Eduardo Amorim, PSDB, que, ao se posicionar contra na votação da reforma trabalhista no Senado, viu um aliado seu, o ex-prefeito de Itaporanga, César Mandarino, “balançar” no cargo de superintendente local da Codevasf. Só que, nesse caso, César se mantém graças à intervenção, mais uma vez, de André Moura.

“POUCO VALOR”

Uma fonte ouvida pelo CINFORM, que conhece por dentro a estrutura dos cargos federais em Sergipe, pediu anonimato, mas entregou alguns pontos. “Os salários desses cargos não são muito altos. A maioria está, já, sob a força do decreto de Temer sobre a nomeação de funcionários de carreira. Então, o que importa, ao final, é mesmo o poder, a posição”.

Além disso, o nosso informante revela algo que deve preocupar as autoridades fiscalizadoras. “O cargo vai “puro”, sem secretária, sem estrutura nenhuma. O que acaba valendo mesmo são os espaços e empregos que se consegue nas empresas terceirizadas que atuam nesses órgãos”. Sem revelar nomes, a fonte diz que, até recentemente, o Incra possuía 52 cargos em empresas terceirizadas “Com salários muito altos, por sinal. E que serviam aos interesses de um deputado federal e um ex, ambos do mesmo partido”.

Por fim, a fonte ajuda na análise de quem deve manter ou quem pode perder os cargos que indicaram em Sergipe. “Tudo dependerá da votação pela aceitação do processo contra Temer, na Câmara, no dia 2 de agosto. Quem votar contra, irá perder os cargos  sem dúvida”, finaliza a fonte”.

Cargos federais em Sergipe sob controle político

A nossa fonte, sempre pedindo o anonimato, listou alguns casos em que os ocupantes de cargos federais são indicados pelos aliados do presidente Michel Temer:

1 – Delegacia Regional do Trabalho – SD – Laércio Oliveira

2 – Ministério da Saúde – PSC – André Moura.

3 – Dnit – PR – Adelson Barreto

4 – Funasa – PSC – André Moura

5 – Chesf – PSB – Antônio Carlos Valadares

6 – Ibama – PV – Reinaldo Nunes

7 – Secretaria do Patrimônio da União – PSC – André Moura

8 – Receita Federal – funcionários de carreira – não há nomeação política

9 – Incra – SD – Laércio Oliveira

10 – Embrapa – funcionários de carreira – não há nomeação política

11 – Codevasf – PSC – André Moura

12 – INSS – PSC – André Moura

13 – Anatel – funcionários de carreira – não há nomeação política

Anterior Casas abandonadas e o empurra-empurra da responsabilidade
Próximo Nova sede chega a Aracaju