Malasartes e o Duelo com a Morte é o filme com mais efeitos especiais do Brasil


A trama gira em torno das aventuras do personagem Pedro Malasartes (Jesuíta Barbosa), personagem do folclore ibero-americano, que vive de pequenas trapaças e está sempre se safando das situações, muitas vezes, criadas por ele mesmo.

Malasartes se depara com os inimigos, Próspero (Milhem Cortaz), que fará de tudo para impedir que sua irmã Áurea (Isis Valverde) o namore; e a própria Morte (Julio Andrade), que quer tirar férias depois de dois mil anos ceifando vidas, e pretende enganar Pedro para que assuma o seu lugar.

Entre os outros desafios no caminho de Malasartes, estão a bruxa Parca Cortadeira (Vera Holtz) e Esculápio (Leandro Hassum), assistente da Morte, que querem ficar com o posto que a Morte pretende vagar.

A pós-produção e os efeitos ficam por conta da O2 Pós, parte da O2 Filmes. O diretor e roteirista Paulo Morelli afirma que mais de 40% do filme utiliza computação gráfica e foi justamente por isso, que o filme rodado há dois anos, ainda estava sendo finalizado os efeitos. Orçado em R$ 9,5 milhões, “Malasartes e o Duelo com a Morte” investiu cerca de R$ 2 milhões desse total em efeitos especiais. O filme tem a estreia prevista para o dia 10 de agosto.

Fonte: rollingstone.uol.com.br

Previous 'O Filme da Minha Vida', adaptação do livro de Antonio Skármeta, chega aos cinemas
Next 10 dicas para uma ideia virar negócio