CINFORMANDO


Qual o seu papel nisso tudo?

Para quem está entre os indignados com a não aprovação da denúncia contra Temer em Brasília, um aviso: você tem parte nisso.

Para quem está abismado de ver a Justiça mandando instalar CPI do Lixo em Aracaju, mais um aviso: você tem parte nisso.

Para quem está chocado com a possibilidade de um promotor fechar a feira livre de Lagarto, aviso novamente: você tem parte nisso!

Nos três casos, um ponto em comum: todas as ações – ou inações, no caso de Aracaju e Lagarto – foram realizadas por parlamentares.

Em Brasília, os deputados, em Aracaju e Lagarto, os vereadores.

Na capital federal, o interesse corporativo, as negociatas e a liberação de verbas deram a tônica.

Em Aracaju, vereadores da base do governo de Edvaldo Nogueira, PCdoB, barraram a CPI no plenário – como se tivessem algo a esconder. Mas os oposicionistas foram a luta e conseguiram, na Justiça, a CPI sob “paus e pedras”. Acompanhemos o desenrolar dessa história toda.

Agora, em Lagarto, encabeçados pelo vereador Alex Dentinho, PRB, a oposição quer que o prefeito Valmir Monteiro, PSC, doe bancas do novo mercado da cidade. Ora, além do absurdo em si, afinal o prefeito poderia “doar” para quem quisesse e não seria correto, isso é totalmente ilegal.

Não à toa o promotor Antônio Cesar já se manifestou e disse: se doar, entrará na Justiça e pedirá inconstitucionalidade. E se não fizer a licitação logo, pedirá a interdição e o fechamento da feira livre da cidade. Ou seja: ou os vereadores aprovam a licitação, ou a cidade pode ficar sem feira. Já pensou que absurdo?

Então, já identificou, nos três casos, aonde é que você tem parte nisso tudo? Fácil: vote bem, vote cada vez melhor em seu parlamentar. Deputado estadual, federal, senador e vereador, se forem de qualidade, podem ajudar a melhorar a sua vida. Agora, se forem “requenguelas”, “meia boca”, só farão piorar tudo. Casos claramente identificados nos três exemplos usados aqui, né não?

 

Previous Externato precisa de doações para continuar aberto
Next Programa Outro Olhar debate sobre minimalismo