Índice que mede o medo do desemprego sobe para 66,1 pontos em julho, segundo CNI


Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, responsável pelo Programa de Demissão Voluntária do Governo Temer: o medo chega ao funcionalismo público. (José Cruz/Agência Brasil)

Nordeste lidera o indicador 

Apesar dos índices levemente positivos da economia, o medo do desemprego por parte dos brasileiros só aumenta. O índice atual é 1,8 ponto percentual superior ao registrado em março deste ano e que está 17,3 pontos acima da média histórica, que atingiu 48,8 pontos. Os dados, informados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) indicam que o índice do medo do desemprego subiu para 66,1 pontos em julho deste ano.

Ainda segundo a CNI, a piora da expectativa por parte da população ainda se dá pelo agravamento da crise política.

Aqui na região nordeste, o medo do desemprego é ainda maior na região Nordeste, alcançando os 68,3 pontos. O Norte e o Centro-Oeste atingiu a marca de 66,9 pontos em julho e ficou 9,7 pontos acima do verificado em março. No Sudeste, o índice é de 67,9 pontos. No Sul, de 56,7.
A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 125 municípios entre os dias 13 e 16 de julho. A pesquisa Índices de Medo do Desemprego e Satisfação com a Vida está disponível na página de estatísticas da CNI.
Emprego1791[José Cruz/EBC]: Dyogo Oliveira, ministro do Planejamento, responsável pelo Programa de Demissão Voluntária do Governo Temer: o medo chega ao funcionalismo público federal.

Previous 20 pensamentos para aumentar a sua criatividade no trabalho
Next "Planeta dos Macacos: A Guerra" encerra a nova trilogia