O piso correto para cada ambiente


Resistência é um dos principais aspectos a se considerar na escolha do piso (Foto: Vieira Neto)

Na hora da escolha,  fique atento às especificações do fabricante e as necessidades de espaço

Ele é um dos principais itens na lista de materiais para a reforma da casa. Consegue valorizar e integrar os ambientes, além de proporcionar conforto e funcionalidade quando escolhido corretamente. O mercado de materiais de construção tem oferecido cada vez mais uma diversidade de pisos e revestimentos de chão, com cores, texturas e formatos diferenciados. Mas além da questão estética, para escolher o piso correto é fundamental ficar atento à detalhes como aderência e resistência, como explica a arquiteta Leilane Barbosa Santos.

Leilane: “Classificação dos pisos são informadas pelos fabricantes” (Foto: Arquivo Pessoal)

“Para conferir se o revestimento tem boa qualidade é importante observar alguns aspectos como a resistência a impactos e a mancha de água, lascamentos, uniformidade no tamanho das peças, entre outros. Por exemplo, na embalagem dos porcelanatos tem uma classificação denominada linha A ou C, onde a primeira indica que os pisos tem tamanhos regulares e que não há defeitos na superfície, já a linha C é mais barata, porém, algumas peças podem ter algum tipo de defeito, aumentando a possibilidade de ter mais perda na obra e irregularidades na hora da instalação”, orienta Leilane.

Sobre a classificação dos cerâmicos, a arquiteta declara que ela varia de A a D. E essa avaliação é de grande importância na escolha do piso, e o cliente também deve buscar referências sobre os fabricantes e conhecer seu controle de qualidade. Após esse cuidado, o cliente pode ficar mais à vontade para se preocupar com a parte estética do piso, acompanhar as tendências que deixarão o imóvel moderno e aconchegante.

DETALHES
Sobre o que caiu no gosto dos brasileiros, Leilane Barbosa destaca os pisos que ajudam a compor o estilo industrial, sendo os que imitam madeira de demolição, cimento queimado e aço cortén. “Além disso, o mercado tem lançado e resgatado muitas texturas orgânicas e naturais, padrões geométricos e gráficos, que permitem brincar com cores, formas e combinações. Também merecem destaque os revestimentos mais clássicos, como os porcelanatos marmorizados, que trazem requinte e sofisticação ao ambiente”, ressalta.

Aline: “Pisos vinílicos tem sido muito procurados” (Foto: Vieira Neto)

Dentro das tendências atemporais, a arquiteta destaca o revestimento amadeirado, que torna o ambiente mais aconchegante. Mas é importante destacar que para cada ambiente é indicado um tipo de piso, visto que atividades específicas serão realizadas nos diferentes espaços. Leilane orienta que alguns aspectos sejam considerados no momento da escolha, como o fluxo e circulação de pessoas, a maior facilidade e necessidade de limpeza, se é área externa ou interna, se há presença de água ou areia.

No caso das áreas molhadas, os pisos antiderrapantes são os mais indicados, e a arquiteta explica que dentre eles estão os de cerâmica, porcelanato, granito e emborrachado. Leilane explica que o coeficiente de atrito deve ser considerado – pois se trata de um indicador de resistência à derrapagem e varia de 0 a 1, e quanto maior, mais resistente a escorregamentos. “É aconselhável que o coeficiente de atrito seja maior ou igual a 0,4, e isso pode ser checado na embalagem ou com o vendedor da loja. Além disso, é preciso verificar o índice de porosidade, quanto menos poroso, menos absorve água e mais indicado para ambientes molhados”, salienta.

OFERTAS NO MERCADO
Em meio à infinidade de pisos existentes no mercado, um que vem ganhando cada vez mais adeptos sergipanos nos últimos anos é o piso vinílico. O custo-benefício é uma das características apontadas por quem oferece esse produto. “Esse é o tipo de piso que tem sido muito procurado, e nós trabalhamos com diversos modelos com tons e texturas variadas. Entre os mais procurados estão o rústico e o amadeirado, com média de preços entre R$ 50 e R$ 300 o metro quadrado”, declara a vendedora da Tek Pisos, Aline Goes.

Bianca: “Preço é prioridade para o cliente” (Foto: Vieira Neto)

Ainda de acordo com Aline, os modelos também variam conforme a necessidade do cliente, e a loja dispõe de peças específicas para imóveis residenciais, comerciais e também com a linha hospitalar. Para áreas externas e molhadas – como cozinhas e banheiros -, a vendedora indica os pisos emborrachados, que também possuem tons variados e o preço varia entre R$ 32 e R$ 200 o metro quadrado.

Já na Imaca Material de Contrução, a vendedora Bianca Lemos explica que os pisos cerâmicos e porcelanatos são os revestimentos comercializados pela loja, e o preço tem sido a prioridade para os clientes. “Antes a qualidade era uma grande preocupação, mas atualmente os clientes tem preferido optar pelo preço. Dos cerâmicos mais simples 45×45, tipo A, o metro quadrado custa a partir de R$ 11,97, já o porcelanato medindo 62×62 custa a partir de R$ 59,40 o metro quadrado”, afirma Bianca. Ainda de acordo com a vendedora, o metro quadrado dos pisos antiderrapantes custam na loja a partir R$ 24.

Previous EcoSport teve atualização a altura de seu sucesso
Next Chef brasileiro assina os menus da KLM