Dado Dolabella é preso no Rio por dívida de pensão alimentícia


Ator deve quase R$ 200 mil em pensão de filho de seis anos

A casa caiu para o polêmico Dado Dolabella. Na tarde desta quinta-feira, 17, o ator foi preso por policiais e conduzido à delegacia, na cidade do Rio de Janeiro, por dever nada mais nada menos que R$ 190 mil de pensão alimentícia de um filho de seis anos, fruto de um relacionamento com Fabiana Vasconcelos Neves.

De acordo com os policiais, Dado não apresentou resistência na hora da prisão. Contudo, fez de tudo para não ser preso. Pela manhã, os agentes foram até o apartamento do ator, em Copacabana, e ficaram na porta das 9h às 13h na expectativa de prendê-lo. Porém, ele não atendeu ingindo que não havia ninguém na residência.

Somente à tarde, quando Dado imaginava que os policiais tinham ido embora e ao sair do apartamento, foi efetuada a prisão. Em entrevista à imprensa, na delegacia, o ator disse: “Na verdade, isso é uma coisa que é um processo, que está em curso e já foi pedido um revisional”.

“Esse valor que, inclusive, está sendo pedido no processo é de acordo com um contrato em que eu recebia um salário por mês, que não existe mais, então, isso aí está sendo revisto”, afirmou Dado – que há tempos não é contratado por uma emissora de televisão, após inúmeras confusões criadas pelo próprio.

Abalada com a prisão do filho, a atriz Pepita Rodrigues, claro, saiu em defesa: “É um absurdo o que estão fazendo com este menino. O Dado não está trabalhando. Ele faz um bico aqui, outro ali, mas não consegue algo fixo. Hoje ele estava indo para Belo Horizonte fazer um trabalho quando foi preso”, disse.

Esta noite, pelo jeito, o destino de Dado será outro: sistema prisional de Bangu, na Zona Oeste do Rio. De acordo com o delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, titular da 11ªDP (Rocinha), o ator será transferido da delegacia para penitenciaria ainda nesta noite de quinta-feira.

 

Previous Plano de mobilidade urbana , do Ministério das Cidades , recebe pouca adesão de municípios brasileiros
Next Estado Islâmico reivindica ataque terrorista que matou 13 em Barcelona