32 mil motoristas sergipanos terão habilitações suspensas e frequentarão escolas de educação para o trânsito?


Milhares de sergipanos recebendo mensagem via whatsapp informando que de 28 mil a 32 mil motoristas sergipanos, que teriam cometido muitas infrações no trânsito, perderão este ano o direito de dirigir e terão suas carteiras de habilitação suspensas pelo Detran de Sergipe, sendo obrigados a frequentar escolas para recuperar as habilitações.

O zap afirma ainda que várias listas retiradas do próprio Detran, com os nomes dos motoristas, estariam circulando pela rede social. E anexa exemplos de tais listas, com timbres do Detran e milhares de nomes de supostos condutores infratores que teriam recorrido à instituição para se defender.

Para emprestar um ar de maior veracidade, a notícia informa que o objetivo seria arrecadar dinheiro, através de escolinhas de trânsito escolhidas a dedo e sem licitação pública pelo Detran, em favor de sabe-se lá quem.

Mas para o Detran a informação se trataria de mais um fake news (notícia falsa) distribuída através do whatsapp. É que, a esse respeito, o órgão divulgou nota informando que as listas de infratores em processo de suspensão dos direitos de dirigir que circulam pela internet não seriam originárias do órgão, tratando-se, portanto, de informação falsa.

O Detran acrescenta que  o órgão “apenas divulga tal tipo de informação através do Diário Oficial do Estado, por meio da Segrase ou por notificações enviadas aos condutores, via correios, aos endereços cadastrados no banco de dados da  autarquia”.

Contudo, pessoas que estariam sendo citadas nas tais listas procuraram o Detran e confirmaram a presença de seus nomes na relação oficial de infratores em vias de punição. Como poderiam ter aparecido os nomes de tais motoristas autuados em documentos aparentemente falsificados? Mera coincidência ou de fato ocorreu o vazamento de dados de que o Detran aparentemente se esquiva em admitir?

Há, inclusive, o caso de um profissional liberal que prefere manter o nome em sigilo, temendo represália, que garante ter ido verificar seu nome no Detran, ao constatar a presença dele nas tais listas falsas. Ele fez uma contestação por escrito. O órgão confirmou que o nome do condutor se encontrava no banco de dados de infratores e recebeu a contestação, agora em fase de julgamento.

O Detran deve melhor explicações ao público e não apenas limitar-se a emissão de lacônica nota sobre o assunto, como se evitasse abordar o mérito da questão.

O CINFORM dará prosseguimento a esta apuração para concluir  se finalmente as listas de condutores autuados que circulam pela rede social são falsas ou de fato ocorreram vazamentos de dados no órgão.

Previous Grêmio vende Pedro Rocha por R$ 45 milhões ao Spartak Moscou
Next Com Luizão Motos no Riacho Doce