Lula em Sergipe: pontos positivos e negativos da visita do ex-presidente


Em Estância, Lula iniciou visita e foi homenageado com Título de Cidadão/Vieira Neto

Passagem do ex-presidente pelo estado teve entusiastas
e críticos. Confira um resumo com as duas visões antagônicas

Anderson Christian

politica@cinform.com.br

A partir das 16:30h do último domingo, 20, em Estância, até o final de tarde da terça, 22, com a travessia da Caravana Lula Pelo Brasil de Sergipe para Alagoas, cruzando o Rio São Francisco em direção à cidade alagoana de Penedo, o ex-presidente Lula, PT, trouxe os holofotes da mídia nacional para Sergipe. Primeiro por ser o segundo estado visitado pela caravana. E depois por ser Lula quem é e por uma série de ações ocorridas em nosso território, inclusive com implicações políticas futuras, tanto nacionalmente, como localmente.
E para traçar um panorama o mais fiel possível sobre a visita e seus resultados, o CINFORM buscou ouvir duas opiniões antagônicas: a do presidente do PT estadual, Rogério Carvalho, e a do ex-candidato a prefeito de Aracaju e apoiador do movimento em favor da candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro, PSC, à presidência. A intenção é permitir que o leitor construa, a partir das diferentes opiniões, uma avaliação própria sobre o principal acontecimento político em Sergipe neste ano.

Emoção, política e reconhecimento

Rogério e a gratidão: “Lula fez pelo povo”/Arquivo Cinform-Gil Fonseca

Rogério Carvalho não se fez de rogado e listou, na sua opinião, fatos que demonstram a importância da passagem de Lula no estado. “Visitamos seis das sete regiões do estado. E isso serviu para reforçar os laços do presidente Lula, que viu também o quanto o povo lhe é grato por tudo o que ele fez por Sergipe”, afirma Rogério.
Como ponto alto, o presidente do PT entende que o ato no Iate Clube de Aracaju cumpriu esse papel. “Uma jovem, que engravidou na adolescência, cerca de 10 anos depois vai a Lula e devolve o cartão do Bolsa Família. Ela saiu de casa, foi morar no Morro do Avião, conquistou casa própria, pelo Minha Casa, Minha Vida; sustentou a família, com ajuda do Bolsa Família; e se formou, com o ProUni. Tudo isso em uma década, apenas. Foi muito emocionante conhecer a história dela e ver a gratidão”.
Já em termos políticos, Rogério deixou claro: “quem quiser concorrer em 2018, não poderá prescindir do PT”, analisa, devido a força mostrada pelo partido nessa visita. “Lideranças e militantes dos movimentos sociais, sindicais. Lideranças e militantes políticos. Todos participaram. E não houve exclusão de nossa parte. Só não participou quem não quis”. Reforçando a força de seu grupo político, Rogério louvou a presença do governador Jackson Barreto, e do vice, Belivaldo Chagas, ambos PMDB. Mas também se posicionou: “o PT sai fortalecido rumo a uma candidatura majoritária”.

“Ele é um marginal”

João sem perdão: “Lula é um bandido”/Arquivo Cinform-Arthur Leite

Opinião diametralmente oposta tem João Tarantela. Um dos principais apoiadores do movimento que quer Jair Bolsonaro presidente, João é direto. “Lula não deveria ter vindo a Sergipe porque ele deveria era estar preso. Poderia ter começado essa caravana por Curitiba, porque já ficava preso por lá mesmo. E mais: tão chamando de Caravana da Esperança. Mas esperar o que de um bando de marginal, comandados pelo maior marginal do país, que quebraram os Correios, só para ficar em um exemplo?”.
Para Tarantela, o pior momento da visita de Lula foi o choro do ex-presidente em Estância. “Foi o choro do bandido, de quem teve, pela sua história de vida, a oportunidade de fazer o melhor, mas fez o pior. Se havia 30% de corrupção, ele fechou 100%. Assim, quem deveria chorar é a população, que perde entes numa BR porque a obra teve corrupção, pois cada desvio de verba pública é responsável pela morte de centenas de pessoas”, ataca João.
E, para finalizar, João Tarantela questiona os resultados políticos no estado. “Primeiro que o PT, daqui e de lá, deveria ajoelhar no sal grosso por defender um bandido da marca de Lula. E depois, Jackson Barreto, o pior governador da história de Sergipe, deveria ter vergonha e, ao final desse mandato, ficar em casa. Não entro na briga entre o Sintese e o PT. Agora, o Sintese representa uma categoria. Não teria razão deles vaiarem Jackson, se este está ao lado de Lula. Mas essa vai foi do desespero, da desesperança. Afinal o Sitese representa os professores. E Jackson não respeita nem a profissão que era da mãe dele. Um absurdo. Já o prefeito da Torre, Edvaldo, que é um moleque, não foi ver Lula porque está puxando o saco de André Moura. A política brasileira está entregue nas mãos de bandidos. Por isso o povo, revoltado com essa situação, vai eleger Bolsonaro em 18”, prevê Tarantela.

LEIA MAIS:

Lula chora e apresenta jingle de campanha antecipada em Sergipe

Em Sergipe, Lula xinga e humilha assessor na caravana pelo Nordeste

Lula em Sergipe: segundo dia marcado por título em Lagarto,
pouca gente em Itabaiana e multidão em Glória

Lula em Sergipe: ex-presidente participa de evento em Aracaju
sem a presença do governador Jackson Barreto

CINFORMANDO: bastidores do ex-presidente Lula em Sergipe

Previous Polícia divulga imagens para tentar identificar criminosos que assaltaram supermercado no Siqueira Campos
Next Reportagem do CINFORM sobre evasão fiscal provoca debate na Assembleia Legislativa sergipana