Ecumenismo marca final de semana em Aracaju


Projeto Mãos que Ajudam, da Igreja de Jesus Cristo
dos Santos dos Últimos Dias, aconteceu no sábado, 20

Datas comemorativas são importantes por celebrarem pessoas e situações que merecem ser relembradas e debatidas. A partir dessa ótica, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, na área norte de Aracaju, aproveitou a celebração do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado no domingo, 21, para realizar o Projeto Mãos que Ajudam durante a tarde do sábado, 20.

“Preservar o arbítrio e a liberdade religiosa. Baseados na Constituição, que nos garante a liberdade de crença, a Igreja de Jesus Cristo realizou esse evento para que pudéssemos receber nossos irmãos de outras denominações, para que pudessem falar justamente de suas crenças e saber como eles são perseguidos na sociedade em que vivemos”, explica Luiz Humberto da Piedade, presidente da Igreja de Jesus Cristo.

Dessa forma, o evento Mãos que Ajudam teve a participação do Padre Marcelo Conceição, da Paróquia Sagrada Família, do espírita Júlio Cesar Góes, do representante do Candomblé, Andson Alves, e do representante da comissão de Liberdade Religiosa da OAB/SE, Janilson Gomes Junior. “A OAB presente, inclusive, para relatar as questões legais sobre a liberdade religiosa”, reforça Luiz Humberto.

“AMOR AO PRÓXIMO”

O presidente da Igreja de Jesus Cristo, inclusive, destacou que os mórmons que dela participam são, historicamente, perseguidos, inclusive com violência. “Houve um tempo em que um governador de um estado norte-americano aprovou uma lei para que todos os mórmons que viviam lá fossem mortos”, relatou.

Maiana Lima, uma das participantes do evento, considerou as palestras bem proveitosas. “Acho muito importante porque, hoje em dia a gente vive em um mundo de preconceitos. Quando a gente abre as portas, deixando que cada um demonstre a sua fé, nós estamos demonstrando amor ao próximo”.

E Maiana prossegue. “Quando respeitamos a fé do próximo, demonstramos também a nossa fé. Quando demonstramos nosso amor ao próximo, que é uma das maneiras de mostrar o amor ao Senhor. Porque Ele fala em união, em sermos unos”, finaliza.

 

Previous Sergipão 2018: Sergipe e Boca dividem topo da tabela
Next Coronel PM Rocha critica proposta do senador Valadares