Final de semana acelerando o passado


Indefectíveis Fuscas marcaram presença no 3º Encontro de Antigos (Foto: Vieira Neto)

3º Encontro Sergipano de Veículos Antigos movimenta Orla de Atalaia

 

Por Anderson Christian

Quem ama carros em geral não deixa passar em branco um evento que envolve a história automotiva. E foi isso o que aconteceu no último final de semana, na Praça de Eventos da Orla de Atalaia, durante o 3º Encontro Sergipano de Veículos Antigos, promovido pelo Clube de Veículos Antigos de Sergipe, o Antigos do Farol.

Durante os três dias o evento – entre 13 e 15 de abril – o que se viu foi uma viagem ao passado com carros de todas as épocas, todos funcionando ainda e fazendo a alegria de quem é apaixonado pelo antigomobilismo.

E olha o Maverick, que marcou época, marcando presença também (Foto: Vieira Neto)

“A entrada do público é gratuita. Mas os expositores pagam uma taxa de R$ 60, ganham um kit com camisa, troféu, certificado de participação. E não dá para quem quer. Fizemos 150 kits, mas a previsão foi superada e tivemos 180 participantes”, comemora Stanley Campos, presidente do Antigos do Farol.

DE TUDO UM POUCO

Quem esteve presente pode conferir muita coisa legal: Opalas enfileirados, Kombis diferentonas, uma Veraneio top de linha, apesar dos seus mais de 30 anos de fabricação, os indefectíveis Fuscas, em sua maior parte oriundos da Afuse – Amigos do Fusca de Sergipe –, além de grupos como o Quadrados, que reúne diversos antigos mobilistas em torno da mesma paixão, o Brasília Family Club da Bahia, dentre outros.

Dois modelos da Ford datados, podem acreditar, de 1928 e “novinhos” (Foto: Vieira Neto)

E mesmo verdadeiras relíquias se fizeram presentes. “Esses Fordinhos são de 1928”, destaca Stanley. Além de tudo isso, o evento é um prato cheio para quem “mexe” com carros. “Tenho formação em desenho mecânico, mexo em todo tipo de carro. Aí aproveito esse tipo de evento para vender peças, fazer a ponte para a venda de veículos e para me divertir”, diz Paulo Paulista, ou Paulo do Peixe, de Lagarto, também presente no 3º Encontro.

Se você perdeu esse encontro, mas se interessou pelo assunto, Naelson Resende, também um dos organizadores, dá as boas notícias. “Neste ano estamos na terceira edição. A quarta será só em abril de 2019. Mas nos reunimos todo mês ao lado do Oceanário. E, novamente, a entrada do público é livre”, frisa Naelson, sobre o evento mensal, que acontece sempre no primeiro sábado de cada mês. Taí uma ótima oportunidade de viajar no tempo sem nem sair do lugar, né não?

 

Abril Laranja: Desfecho feliz para o cãozinho Pitomba

Situação das calçadas do Centro de Aracaju causa transtornos para população

Previous Balança comercial sergipana fecha mês de março com déficit de US$ 6,37 milhões
Next Notas sobre veículos