Chupito: a Espanha no Brasil


JP-CHUPITO-FOTO6-JULIANAPAIXAO
O Bahia Sour é um dos novos drinks que serão lançados em outubro

Uma espera de restaurante que se tornou um dos principais bares de Salvador

 

Por Juliana Paixão
Especial para o TAC

 

A noite na capital baiana ganha um plus de quarta a domingo com o Chupito, bar localizado na rua da Paciência (no Rio Vermelho), que serve shots, comidas e drinks ao som de diversos DJs. O local que começou como uma “espera” para o restaurante espanhol, La Taperia, hoje é um dos principais bares da noite no Rio Vermelho.

Ao chegar no Chupito você se depara com dois “tipos” de bebidas e alguns sanduíches, os coquetéis e os chupitos. Um dos sócios do Chupito, o chef José Morchon, explica como surgiu a idéia do bar irmão do restaurante La Taperia que virou referência no Rio Vermelho.

“A gente veio da Espanha para montar o La taperia e depois de algum tempo sentimos falta de um bar e junto com meus sócios a gente pensou no Chupito. Na verdade seria um bar para atender a lista de espera da La Taperia, mas foi evoluindo, começamos a colocar um Dj, começou a aparecer um público diferente do La Taperia e ai surgiu um bar independente colado com a La Taperia”, explica.

José conta a proposta do local e destaca que cada dia um DJ diferente toca musicas distintas de eltronica, MPB, funk, atendendo a cena jovem soteropolitana. “A proposta é de bar mesmo, lá não tem mesa, não tem lugar para sentar. Temos uns bancos altos, mas a proposta é o cara beber e comer um lanche e não sentar e comer um jantar”, disse.

 

DIFERENCIAL

Sendo um dos poucos bares da cidade de Salvador que possui o conceito de shots de bebida e drinks, o Chupito se consolidou na cena do Rio Vermelho com o seu conjunto de uma boa ambientação e bons drinks.

O Chupito (dose de bebida) é o destaque do bar, em diversos sabores divididos em fraco (R$ 5), médio (R$7) e forte (R$10).  Paulo Vitor, bar tender do local explica que na montagem é observada a densidade das bebidas, causando o efeito tridimensional, destaca o bar tender do bar, Paulo Victor.  “A indicação é que você vire, para pegar o destilado, a base e depois mistura na boca e engole”, destaca.

O bar tender ainda destaca que o local é pensado para aqueles que querem curtir e experimentar ume bebida diferente.“A gente é honesto nesse quesito de fraco, médio e forte” […] “Os fracos sempre vão ser algo com licor, um limãozinho, algo pra quebrar o teor alcoólico  um refrigerante, o médio você tem

Nova Carta.

A partir de outubro o Chupito Bar terá uma nova carta de drinks, dessa vez autorais dos três bartenders responsáveis pela casa, Paulo Vitor, Debora Arnoso, Matheus Boaventura.

Uma das novidades é o Bahia Sour, lançado hoje, 16, que tem uma inspiração em sua terra de origem, a Bahia. “Feito de cachaça com xarope de umbu, senzala (bebida do pelourinho) e limão. Produtos que estamos acostumados a consumir aqui na Bahia e ter com facilidade. A nova carta tem um pouco daqui da Bahia e de coisa que tem no mundo”, explicou.

Começando pelo fraco, o escolhido foi o número 8 (Curaçao blue + sprite + limão), um drink leve para quem está receoso no começo da noite ou que não é acostumado a beber. No nível dos médios, um dos populares é o número 15 (gin, limão e gengibre) para aqueles que gostam de um gosto marcante com o ardido do gengibre ganhando destaque de uma forma excelente. Para fechar, um dos fortes, com licor de café + bailes + whisky, o licor de café predomina deixando o shot docinho e perigoso para aqueles que gostam da bebida docinha.

A novidade do Chupito, o “Bahia Sour”, é um gosto típico baiano que mistura o Senzala (bebida típica vendida no pelourinho) com outros ingredientes com uma bebida que mistura o doce e o amargo.

Previous Roberto Carlos está de volta a Aracaju com show especial
Next Recursos próprios melhoram Areia Branca