Jovens empreendedores conquistam espaço no mercado


Igor Nunes começou a trabalhar aos 11 anos e desenvolveu o empreendedorismo

Nos últimos anos, os jovens brasileiros têm despertado o interesse e espírito empreendedor. Segundo dados da pesquisa divulgada pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), no país, o número de jovens empreendedores com idade entre 18 e 34 anos aumentou para 57% no ano de 2017.

Aos 11 anos, Igor Nunes já trabalhava de forma autônoma. Após completar a maior idade, passou por empresas na qual aprendeu e teve habilidades desenvolvidas. Foi quando ele percebeu que tinha chegado a hora de investir na criação da própria empresa. “Decidi ter a minha empresa para proporcionar soluções customizadas com preços justos ao público que eu já atendia”, explica.

O empreendedor Igor Nunes, hoje com 30 anos, trabalha no segmento de seguros empresariais, alimentício e com venda de roupas femininas. Em ramos com bastante concorrência mercadológica, o empreendedor garante oportunizar o diferencial. “Nas três empresas, nós trabalhamos para proporcionar uma experiência diferenciada aos nossos clientes, prezando o padrão de qualidade e o atendimento diferenciado”, afirma.

Segundo levantamento do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as micro e pequenas empresas são responsáveis por gerar, aproximadamente, 54% dos empregos formais no Brasil. Ainda de acordo com os dados, 49 milhões de pessoas entre 18 e 64 anos têm um negócio próprio ou estão envolvidas na criação de um.

Para os especialistas, os jovens têm se destacado no empreendedorismo porque tem usado e abusado de novos comportamentos e ações diferenciada. Os três economistas entrevistados, todos afirmaram que os jovens são a conexão entre empresários experientes com outros que tem uma visão nova de mundo em todas as áreas que pretendem atuar.

Entre os jovens pesquisados, todos disseram ter o desejo de se tornarem empreendedores nos próximos anos. Os principais motivos são realização pessoal para abrir o próprio negócio, ter melhor qualidade de vida e oportunidade de altos ganhos financeiros. Os jovens também citaram que acreditam que o empreendedorismo seja um mercado promissor no Brasil. Igor Nunes iniciou, ainda jovem, no ramo de seguros, porque acreditou no segmento. Na época, ele se especializou na área de riscos especiais. “Desde 2009 tenho trabalhado nas reais necessidades dos clientes para otimizar os recursos financeiros e minimizar os riscos”, declara.

O jovem empreendedor afirma que o seu projeto é empreender, a médio prazo, em outro país. Mas, para fomentar ainda mais a intuição jovem a despertarem seu espírito empreendedor, Igor passou a dar aulas. “Desde 2015, quando comecei a dar aula de empreendedorismo, surgiu a vontade de implementar a cultura empreendedora nas pessoas que estão próximas. Hoje, também busco incentivar através das redes sociais”, diz.

Anterior Última pesquisa do Dataform está disponível
Próximo Joanna está de volta a Aracaju e promete show emocionante