Começa tudo outra vez


Segundo turno entre Belivaldo Chagas e Valadares Filho é
tira-teima entre governistas e oposicionistas

Domingo de festa democrática durante o dia. E de comemorações ao longo da noite. Ao menos para dois candidatos a governador que passaram para o segundo turno: Belivaldo Chagas (PSD), com seus 403.252 votos, e Valadares Filho (PSB), como seus 212.169 votos, se enfrentarão novamente no último domingo de outubro, dia 28.

E mesmo com a diferença entre os dois sendo considerável, com o primeiro colocado alcançando 40,84% dos votos, e o segundo ficando com 21,49%, é possível depreender nas falas dos próprios candidatos que eles entendem que aquela máxima que diz que “eleição de segundo turno é outra eleição” é, de fato, pra valer.

“Vou me reunir amanhã (8), as 11 da manhã, com todos os secretários para discutir assuntos do Estado. Mas assim que a Justiça Eleitoral permitir, vamos para as ruas continuar levando nossas ideias. Eu não sou governador de gabinete, sou gestor. E as palavras de ordem agora são humildade, humildade e humildade”, disse em seu discurso o candidato a reeleição Belivaldo Chagas.

“VAMOS À LUTA”

Valadares, ao lado de sua vice, Silvia, garante que a luta já começou

Já Valadares Filho foi mais contundente. “Vamos à luta, à batalha. Eu agora represento cerca de 60% do eleitorado que quer mudança. E só um governo com independência, fazendo uma nova política, será capaz de mudar para melhor a vida dos sergipanos”, afirma Valadares.

E, para o novo round, as “armas” já começam a ser definidas. Em seu discurso, além de parabenizar os eleitos pela sua coligação, Belivaldo mandou dois recados. “Quero abrir um parêntese para parabenizar a vitória do Delegado Alessandro. A gente tem que respeitar a vontade do povo”. E emendou: “Jackson Barreto não venceu, mas não está triste. Está aqui ao nosso lado”. Assim, Belivaldo sinaliza que precisa da força de Jackson, mas sem fechar a porta para a busca de novos apoios.

“Por enquanto a preocupação não é com nomes, é com pessoas que representem a mudança, a nova forma de governar, que é isso que Sergipe precisa”, diz Valadares quando questionado se buscaria conversar com Eduardo Amorim (PSDB) que ficou em terceiro na disputa deste domingo. Já em relação a Rede, quando lembrado que houveram conversas anteriores de seu partido com a agremiação, novamente Valadares foi mais objetivo. “A Rede é um partido que eu respeito bastante, temos uma relação muito cordial, de diálogo. A Rede é um desses partidos que têm esse perfil de mudança que a gente precisa”, finaliza Valadares.

Previous Brechó virtual: comodidade e praticidade
Next Mudança de fato e de direito