Festas de fim de ano aquecem o comércio e abre postos de trabalho em Sergipe


Vendas para as festas de final de ano geram empregos temporários no comércio de Aracaju (Foto: Arquivo Cinform/Márcio Sousa)

Segundo a CDL Aracaju, mais de mil empregos
devem ser criados nesse período do ano

As tradicionais compras para as festas de final de ano aquecem o comércio sergipano, ao tempo em que abrem oportunidades de emprego, principalmente no setor de serviços. Segundo a última Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral (Pnad Contínua Tri), divulgada em novembro deste ano, a taxa de desemprego em Sergipe chegava a 17,5% – maior taxa entre os estados nordestinos e maior até que a média nacional de 11,9%.

Brenno Barreto, presidente da CDL Aracaju

Segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Aracaju, Brenno Barreto, é difícil estimar quantas vagas serão criadas neste final de ano uma vez que, graças à reforma trabalhista, os comerciantes podem contratar um funcionário pela modalidade de trabalho intermitente, onde prestação de serviços não é a tradicional.

“Para esse ano, nós temos um cenário diferente do ano passado para a contratação de empregos temporários por causa da reforma trabalhista. Com a mudança na lei, além do emprego temporário, existe a modalidade de trabalho intermitente. Mas por volta de 600 empregos temporários e mais uns 500 intermitentes devem ser criados neste período”, comenta.

Para atender às centenas de pessoas que fazem compras no comércio de Aracaju nesse período do ano, algumas lojas chegaram a dobrar o quadro de funcionários. Segundo o gerente de loja Mário André Barros, além dessa ser uma oportunidade de trabalho no final do ano para aqueles que estavam desempregados, também é uma chance de ser efetivado. Uma vez que muitas lojas acabam efetivando aqueles que tem melhor desempenho.

Jullian Calumby estava desempregado deste junho

“Para este final de ano, nós contratamos 31 funcionários temporários, entre vendedores, caixa e auxiliar de serviços gerais. Um número muito parecido com o de contratações que fizemos no ano passado. E nós percebemos que essas pessoas que estão há mais tempo desempregadas vêm com uma determinação muito grande para fazer o seu melhor. E nós reconhecemos isso. Nós sempre aproveitamos esses talentos, às vezes imediatamente e outras em momentos de necessidade ou quando surgem vagas”, comenta.

Jullian Calumby era um dos que estavam desempregados desde junho deste ano e conseguiu uma oportunidade de retornar ao mercado de trabalho através das vagas temporárias ofertadas nesse período.

“Eu fui contratado como temporário, onde o contrato é de 36 dias podendo ser renovado, mas eu espero ser efetivado. Não só porque eu já tenho experiência no ramo dos calçados, mas principalmente pelo meu empenho e objetividade”, afirma.

Anterior Prefeitura de Aracaju detona atividade de foods trucks
Próximo Intolerância religiosa é preocupante