Recuperação de indébitos fiscais


(Fotos: Divulgação)

Escritório Marins é especializado em recuperação de ativos
perdidos na burocracia da Receita Federal

Entrevista exclusiva com o advogado Eliézer Marins, executivo da MARINS CONSULTORIA, com sede em São Paulo, mas que ramifica suas operações por todo o Brasil, operando na área de recuperação de ativos fiscais. O Cinform descobriu o advogado na plataforma de compartilhamento de imagens “Youtube”, veiculou no site do jornal dois vídeos de sua autoria, com a devida autorização, e daí surgiu o interesse para esta entrevista. A seguir, os melhores trechos.

CINFORM: Dr. Eliézer, o que é, exatamente, indébito fiscal?

Eliézer Marins: Repetição de indébito fiscal refere-se à possibilidade de o direito do contribuinte pleitear, junto às autoridades fazendárias, a devolução de tributo pago indevidamente ou a maior.

Como e por que o senhor buscou essa área de atuação?

EM: A história é longa… “risos”… meu pai fundou o escritório há mais de 40 anos, ele foi um dos precursores em
consultoria e auditoria contábil, chegando a fazer auditoria pra empresas multinacionais da Argentina e Portugal, que tinham filiais em Salvador/BA, e para a Seccional da OAB/BA. Passamos um tempo sem investir nessa área, depois de muitos anos vi que precisava reformulá-la, como não inventei a roda resolvi copiar o serviço de excelência nos moldes das BIG FOUR [Nomenclatura utilizada para se referir às quatro maiores empresas contábeis especializadas em auditoria e consultoria do mundo. Fazem parte deste seleto grupo as empresas EY, PwC, Deloitte e KPMG], contratei profissionais experientes vindos da PWC e KPMG e demoramos cerca de um ano para implementar todo sistema e o know how.

Existe mercado para essa demanda, de recuperação desses ativos?

EM: Sim, o mercado é bem vasto, pois quase todas as empresas no Brasil têm créditos a recuperar.

Desde quando a Marins atua nessa área?

EM: Há mais de 40 anos a Marins atua na área tributária e de Recuperação de Crédito.

Como uma empresa pode detectar que dispõe de ativos?

EM: Fazendo um levantamento dos últimos 5 anos na contabilidade e na apuração dos impostos da empresa.

Essa recuperação pode beneficiar, também, pessoas físicas?

EM: Não, somente para pessoas jurídicas e produtores rurais.

Como potenciais clientes de outros estados podem recorrer à Marins?

EM: Por enquanto não temos espaço disponível para novos clientes, acredito que poderemos abrir espaço para atendimento de novos clientes em junho de 2019. Está havendo muita procura pois atendemos em todo Brasil, acredito que essa procura se deve à recessão que o país enfrenta.

Existem muitas empresas concorrendo nesse mercado?

EM: Existem as mundialmente conhecidas como BigFour e algumas poucas outras nacionais.

Quais são os índices, ou indicadores de sucesso da Marins, com relação ao número de processos?

EM: Para empresas que nunca fizeram auditoria 97,50%, para as que já fizeram, 58%.

Por que a Receita Federal não disponibiliza a consulta dos créditos dessas pessoas jurídicas?

EM: Porque não é interessante para a Receita Federal diminuir sua arrecadação. Geralmente, a grande maioria das empresas não vão atrás de seus direitos e esses valores ficam para a União. Na verdade, temos uma Receita Federal desonesta, afirmo isso pois já demonstrei que é a verdade. Nos Estados Unidos isso não acontece, pois a IRS (Internal Revenue Service), que é a receita do Governo Federal dos Estados Unidos, é honesta. Caso algum contribuinte de lá pague seu imposto a maior, a Receita manda um cheque, via o Correio deles, devolvendo o valor
que foi pago a mais.

Anterior Cemisa é excelência em humanização na saúde
Próximo Prefeitura autoriza reajuste da tarifa de ônibus; valor passa para R$ 4 a partir de domingo