Mercado espera melhora na economia e abertura de novos postos de trabalho em 2019


Especialistas esperam um 2019 mais otimista com relação a investimentos e geração de empregos (Fotos: Divulgação)

FGV aponta setores que devem abrir mais oportunidades no ano

Depois de um período de crise em diversos setores da economia nacional, economistas esperam que 2019 seja um ano de mais otimismo não só para a injeção de investimentos em diversos setores, mas também para a geração de novos postos de trabalho.

“O Brasil enfrentou uma grave crise econômica ao longo dos últimos anos e em 2018 começou um processo muito lento de melhoria. As expectativas para 2019 são muito otimistas, podendo haver um processo de aceleração da retomada da economia, caso o governo de Bolsonaro consiga implementar as reformas necessárias. Se realmente os ajustes necessários forem realizados, tanto no nível nacional quanto no nível estadual, os investimentos irão aumentar, possibilitando uma retomada mais forte da geração de empregos”, comenta o economista Rodrigo Rocha, da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES).

A professora de gestão de pessoas e coordenadora de curso da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Anna Cherubina Scofano acrescenta que o surgimento de mais vagas de trabalho já é notório neste final de 2018, muito embora o suprimento de vagas para tamanho número de desempregados ainda esteja distante.

“Apesar de grande parte dos estados brasileiros estar mergulhada em uma crise sem precedentes, já percebemos no fim deste ano que o mercado está um pouco mais aquecido, tanto para contratações e consultoria, quanto para novos empreendimentos”, afirma a professora.

ATUAÇÃO DA SUDENE

Nas últimas semanas do governo de Michel Temer (MDB) a Câmara dos Deputados aprovou a renovação dos incentivos fiscais para as Superintendências de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), da Amazônia (Sudam) e do Centro Oeste (Sudeco). A proposta aprovada estende de 2018 para 2023 o prazo concedido a empresas que têm projetos para instalar, modernizar ou ampliar empreendimentos localizados nessas regiões. Se sancionada, a lei vai permitir que as companhias continuem pagando 75% a menos do Imposto de Renda calculado com base no lucro da exploração.

Para Rodrigo Rocha, esses incentivos têm grande importância no fortalecimento da base produtiva do Nordeste, contribuindo para a geração de empregos. “Os incentivos fiscais da SUDENE são de grande importância para o fortalecimento da base produtiva do Nordeste, através da atração e modernização de vários empreendimentos, e a geração de empregos, sendo, portanto, de grande importância para acelerar o processo de retomada nos investimentos na região e no estado”, comenta.

Rodrigo Rocha, economista da FIES

PRINCIPAIS SETORES E PROFISSÕES EM ALTA

Na última semana, uma professora da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou uma lista com alguns setores da economia e profissões que devem se destacar no ano que está chegando. Segundo a professora Anna Cherubina, 2019 promete ser um ano promissor para profissionais ligados a alguns setores, como Tecnologia da Informação, Engenharias, Projetos, Química, Educacional, Logística, Administrativa/Financeira e Comercial.

Além dessas áreas, a professora destaca que o setor de Petróleo e Gás também deve gerar oportunidades para diversos profissionais. “Mecânico de sonda, encarregado de solda de extração de petróleo, engenheiro de petróleo, gerente de operação de sonda, operador de sonda, operador de estação, técnico de petróleo, técnico de sondagem e gerente de engenharia de petróleo são algumas das oportunidades que devem aparecer na área de petróleo e gás”, destaca a professora da FGV.

Anna Cherubina, professora da FGV

Já na área jurídica, Anna Cherubina afirma que algumas vagas serão abertas para advogados tributários, societários, especialistas em crimes e compras na internet, analista de tributos e consultor de tributos. Já no e-commerce, as chances de um novo emprego serão para os especialistas em expansão de e-commerce, gestor comercial digital, analista de e-commerce e desenvolvedor de plataformas de e-commerce.

O setor da construção civil, um dos que mais sofreu durante a crise nacional, também espera se recuperar no próximo ano. A chefe do setor financeiro de uma grande construtora sergipana Edjane Freire comenta que as expectativas do setor são boas para 2019, principalmente, porque o novo governo está se propondo a fazer mudanças na economia.

“Com um cenário renovado, esperamos que sejam abertos novos créditos e incentivos para a construção civil. Assim, com certeza passaremos a empreender e a construir, gerando empregos e o desenvolvimento que tanto precisamos”, comenta.

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO

O setor de Comunicação e Marketing, que se mostrou forte tanto para as pequenas, médias e grandes empresas quanto para os políticos durante as últimas Eleições, deve seguir forte em 2019. Para o especialista em comunicação empresarial Leonardo Lotti, a crise econômica brasileira fez o empreendedor perceber que precisa se reinventar, ser visto e ser lembrado pelos consumidores. Porém, muitas vezes, ser notado não é o suficiente.

“A comunicação e o marketing são essenciais para a sobrevivência de qualquer negócio. Entender o consumidor e seus hábitos é um desafio constante. No varejo, o conceito de loja física, por exemplo, está sendo ressignificado. Hoje, o processo de compra se dá online e offline, simultaneamente. Antes de realizar uma compra ou contratar um serviço, o consumidor contemporâneo pesquisa a opinião de outras pessoas nas redes sociais e sites, compara preços, consulta o blogueiro ou youtuber predileto, os amigos e familiares, lê notícias a respeito do produto ou serviço. Assim, entender esse consumidor omnichannel é essencial para o sucesso no varejo, por exemplo. E diante deste cenário, os profissionais de marketing e comunicação desenvolvem papéis cada vez mais importantes”, explica.

Leonardo Lotti, sócio e diretor de uma empresa de comunicação empresarial

Ainda segundo ele, o setor é um terreno fértil e sem limites geográficos para o crescimento do profissional, mas é necessário que haja investimento em conhecimento e se manter atualizado frente às diversas oportunidades que o setor proporciona, principalmente com as redes sociais.

“Percebo a comunicação e o marketing como terrenos férteis. O profissional que investe em conhecimento, busca se aprimorar e se mantém atualizado tem um futuro promissor. Não podemos esquecer também que os limites geográficos não são barreiras para o crescimento profissional. Estamos sediados em Sergipe, mas podemos desenvolver trabalhos para empresas de qualquer parte do mundo”, comenta.

Previous Belivaldo Chagas toma posse e reafirma compromisso com contas públicas
Next População denuncia descaso de prefeitura com pacientes mentais