Emagrecimento de verdade


O ano de 2019 está chegando e com ele muitos prometem começar a dieta, começar a fazer exercícios físicos, porém o emagrecimento não é tão simples quanto parece. Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) divulgada pelo Ministério da Saúde em junho, cerca de 54% da população brasileira sofrem de sobrepeso, e 18,9% sofrem de obesidade.

A médica nutróloga Paula Cavallaro, especialista em emagrecimento explica que é necessário tratar o corpo como um todo para conseguir a tão sonhada perda de peso. “Eu não acredito que o ser humano é só um corpo físico, eu acredito que somos conexões, para eu trabalhar, peso, enxaqueca, dor, dor na coluna eu tenho que trabalhar as causas, assim como é o emagrecimento. Nós somos um conjunto de coisas, tudo trabalha interligado, conectado, a gente não tem como trabalhar separar esse cérebro, desse coração, desse intestino, eu tenho que tratar o todo”, comenta no site www.melhorcomsaude.com.br.

Paula Cavallaro destaca que após engordar uma vez, emagrecer novamente é mais difícil. “Há uma falta de respeito muito grande, todo mundo acha que é preguiça, que é culpa do paciente não emagrecer, que é só fechar a boca, que é só parar de comer. Isso é muito cruel, porque uma vez que você engorda e rompe esse limiar de peso, o seu corpo modifica completamente e briga com você para você engordar. Enquanto uma pessoa normal que nunca rompeu esse limiar, nós chamamos de teoria do gatilho, come três pães e não engorda, quem rompeu engorda com meio pão. O corpo de quem tem acesso a gordura é carboidrato sensível, então tratar isso com respeito da forma como tem que ser, respeitando o tempo é ideal”, conta.

A nutróloga explica que cada corpo é um. “Não existe uma dieta, um remédio igual para todo mundo, uma formula, nós somos sempre muito particulares, eu sempre digo para não inventar muito, seja honesto se conectando com o seu corpo. Não fica inventando o vou esperar entrar na academia para emagrecer ou vou esperar comprar aquele remédio, começa hoje, um pouco que você faz pelo seu corpo ele responde para você. A gente não tem o senso de respeito com o corpo, a gente joga em cima dele dor, ansiedade, cansaço, segura xixi, pula refeição, perde noite de sono, a gente acha que o corpo aguenta e ele não aguenta”

Paula Cavallaro destaca que quem quer emagrecer não pode ter tudo e deve tentar manter um equilíbrio na vida. “Eu não sou a favor de privar, eu acho que é necessário um ponto de equilíbrio, um pouco para seu corpo, um pouco para o prazer, a partir do momento que você entende isso você não passa fome, você não faz dieta. Você pode comer sua pizza, seja feliz com ela, aproveita o momento, mas não coloca ketchup em cima, não toma Coca-cola, você não pode ter tudo. Você possui um corpo diferenciado depois que você passa o limiar, um pouquinho que você tira, 10 gramas por dia ao final do mês são 300 gramas. Faz a comida em casa, não frita, tira o óleo de cozinha, óleo é plástico derretido, dá câncer. Vai fazer o feijão, não coloca a calabresa, coloca uma carne do sol magra, coloca tempero, abóbora quiabo, você não pode ter tudo. Come uma carne do sol com macaxeira, é comida de verdade, mas não frita ela”, destaca.

Paula conta que prefere guardar as calorias para momentos especiais. “O óleo de coco é saudável, o azeite e saudável, mas no processo de emagrecimento cada grama de gordura tem nove calorias, tudo vai engordar, eu guardo as calorias do meu paciente para eles viverem, para serem felizes. Tem dias que vai precisar tomar seu vinho, sua cerveja, final de semana vai querer comer uma comida mais gostosa, então eu deixo para esse momento as calorias”

Paula dá alguns exemplos do que cortar. “Usa temperos variados, ervas, mas não compra os caldos e temperos prontos, eles foram feitos para comer mais. Evita refrigerante, é um mal gigantesco, um copo de coca-cola é igual a um cigarro que você fuma, escolhe comer um hambúrguer artesanal ao invés do refrigerante. Quando a gente nasce nosso corpo é honesto, ninguém sabe o que é açúcar, a gente condiciona o corpo a esses sabores, o açúcar também é um dos carboidratos pré-disponentes do câncer e ele vicia, porque ele é ligado com o eixo emocional do corpo”.

O lado estético

Atrelada à alimentação e exercícios físicos a estética é um método auxiliar para acelerar o emagrecimento. A esteticista Nara Umbelina destaca alguns dos tratamentos estéticos mais eficientes na hora de perder peso. “Criolipólise, lipocavitação, rádio frequência,  velashape3, essas tecnologias conseguem romper a membrana do adipócito, destruindo as células de gordura, mas é necessário que a pessoa passe por uma avalição cuidadosa antes de se submeter aos tratamentos. Esses métodos são contraindicados para gestantes, alterações nos rins ou fígados, doenças cardíacas, trombose, febre, próteses metálicas, tumores locais, DIU de cobre, quem tem alergia ao frio. Vale ressaltar que nenhuma dessas técnicas trata sobrepeso e obesidade”, conta.

Nara ainda explica que mesmo com bons resultados através de tratamentos uma dieta é essencial no emagrecimento. “O desejo pelo corpo perfeito vem aumentando cada dia mais, com isso o crescimento contínuo do mercado nessa área vem nos deixando cada vez mais próximos de soluções para nosso bem-estar, para que possamos assim tratar bem de nosso corpo e de nossa forma física. É possível você conseguir ter um resultado só com essas técnicas mas para que se tenha um resultado realmente positivo e duradouro o ideal é que faça uma reeducação alimentar e atividade física”, conta.

Previous Personal Organizer: mercado cresce no Brasil
Next Acompanhe o áudio do jornalista Genésio Araújo Júnior, nosso correspondente em Brasília, sobre o novo governo do país