Ditador Nicolás Maduro, desacreditado, chama Bolsonaro de Hitler moderno


Divulgação

As afirmações polêmicas de Nicolás Maduro sempre dão ao mundo uma dimensão do que um regime ditatorial, ainda que imposto com a pecha de república, podem trazer de mais desastroso para o imaginário popular. Uma destas pérolas de Maduro foi a frase, dita semana passada, de que Jair Messias Bolsonaro, o atual presidente do Brasil, eleito com 57,7 milhões de votos no último pleito, era o Hitler moderno.

Em discurso, durante pronunciamento, Maduro foi taxativo: “Lá temos o Brasil nas mãos de um fascista, Bolsonaro é um Hitler da era moderna! Vamos deixar o tema Bolsonaro para o lindo povo do Brasil, que lutará e se encarregará dele”.

Na Venezuela, país que Maduro mantêm um governo considerado ilegítimo pelos seus opositores, as palavras dele não são bem vistas, tampouco possuem crédito. E as consequências disso aqui no Brasil acarretaram, neste último sábado, dia 12, um reconhecimento do líder venezuelano e opositor de Maduro, Juan Guaido, como o verdadeiro presidente do país venezuelano.

Atualmente, a vizinha Venezuela é um país afundado em uma crise sem precedentes, onde idosos se suicidam, não existem alimentos nos mercados nem remédios nas farmácias. É a maior crise da história. E, assim que o parlamento venezuelano hoje seja formado em sua maioria pela oposição, as estatísticas econômicas levantadas pela Assembleia Nacional demonstram que a recessão vem acompanhada de 3 anos de consecutiva retração.

Uma das maneiras de entender o colapso venezuelano é estudar os índices de crescimento, e ou retração, do PIB – Produto Interno Bruto. No período de 2013 a 2017, o PIB venezuelano teve uma queda de 37%.

Previous Confira o áudio do nosso correspondente em Brasília, Genésio Araújo, sobre o resumo da semana do governo Bolsonaro
Next Jogador sai de ambulância após raio atingir gramado em São Paulo