PoleSport encanta e ganha força no Brasil


Fazer exercício é uma das principais recomendações para manter um corpo saudável, mas muitos têm pavor de academia, então, para não ficarem parados, buscam outras modalidades, uma das recentes é o PoleSport, esporte em que você faz acrobacias aéreas em uma barra que pode ser fixa ou giratória. O esporte pode ser praticado desde os cinco anos de idade e por todos os sexos.

A professora de PoleSport, Grace di Tainá, explica um pouco sobre a modalidade que tem conquistado adeptos em todo o Brasil. “Nós utilizamos a barra de aço inoxidável para realizar acrobacias aéreas que necessitam de habilidades e capacidades físicas, precisa de muita flexibilidade, força, destreza, muita coordenação motora, porque temos diversas transições de elementos e utilizamos força estática, como dinâmica, tem exercícios que precisamos fazer força isométrica que é manter a contração muscular durante muito tempo. Parece que não estamos fazendo nada, mas estamos fazendo muita força”





Os atletas mirins e adultos do Studio AeroStar estão nos preparativos para o campeonato brasileiro em Itajaí, Santa Catarina, em junho. “Nos campeonatos existem diversos tipos de categorias desde criança, a partir de 6 anos de idade, até mais de 50 anos. Então é um esporte que permite inclusive que o atleta continue durante um longo período de tempo, apesar de ser um esporte de alto rendimento”, comenta Grace di Tainá.

Grace di Tainá explica que há sempre uma busca por novos elementos e desafios no dia a dia do esporte e fala um pouco sobre os benefícios para o corpo e a mente da modalidade. “O PoleSport traz diversos benefícios, além do aumento da habilidades e capacidades físicas, ele traz também uma autoestima muito grande, é muito gratificante você aprender um exercício novo, uma habilidade que você não tinha e que você adquire. Cada vez que você passa por uma progressão e adquire uma habilidade nova a pessoa começa a acreditar mais em si, a capacidade de superação do esporte é muito grande”, destaca.

A professora de PoleSport, Elise Azevedo, conta que aluno da modalidade pode ou não virar um atleta. “Muitas pessoas associam logo a ser atleta, mas ele é como qualquer outro esporte, você pode se dedicar a ser um atleta ou não. Porque ele envolve elementos de dança, a gente usa muito do balé, muito da consciência corporal de uma prática de ioga. É apaixonante, você faz uma aula experimental e descobre maneiras inimagináveis de como movimentar o seu corpo”, conta.

Elise explica que é necessário um tipo de roupa para a prática da modalidade. “Para prática do PoleSport é necessário sim usar um short e um top, onde você deixe uma parte do corpo exposta, porque é nela que você vai fazer as travas, que a gente tem a aderência da pele na barra que vai sustentar o corpo”, destaca.

Arthur Machado, de 12 anos, está ansioso para seu primeiro campeonato de PoleSport e conta como começou no esporte e a expectativa. “Minha irmã resolveu colocar uma barra em casa para praticar, e o único lugar que tinha espaço era o meu quarto, e eu descobri que o pole era o esporte que eu queria levar para minha vida. Eu não imaginava logo no início que eu iria para um campeonato brasileiro e eu fico lisonjeado de representar o AeroStar em uma competição tão grande”, conta.

A fisioterapeuta, Lara Haun, descobriu o PoleSport tentando fugir da academia, que ela não gostava, e já vai completar um ano na modalidade. “Aqui é muito divertido, você se sente bem consigo mesma, eu acho que meu corpo ficou bem mais definido, eu tenho muito mais força, antes eu mal conseguia levantar um pesinho de academia e agora eu consigo me sustentar em uma barra”, explica.

A advogada Paula Prado destaca que no Studio do PoleSport não há julgamentos e que empodera as mulheres. “O pole como um todo é um espaço de empoderamento feminino muito grande, aqui dentro todo mundo comemora as conquistas de todo mundo, não existe competição entre ninguém, ninguém vem pra ser melhor que o outro. A gente não tem vergonha, ninguém te julga, ninguém tá preocupado se sua depilação está em dia, se sua barriga está aparecendo, se o seu peito é grande ou pequeno, se o seu corpo é definido ou não é, ninguém ta nem aí, todo mundo só se preocupa em ficar bonito naquele momento e fazer o movimento que é visível, que é difícil”, esclarece.

Previous Segunda edição da Fundat Orienta acontecerá no bairro Porto Dantas
Next Bolsonaro passa por cirurgia para retirada da bolsa de colostomia