Arquitetura e sustentabilidade: mais que uma tendência


Considerando o crescimento dos impactos negativos das ações do homem sobre a natureza e a preocupação com a escassez de recursos naturais para as gerações futuras a palavra sustentabilidade virou “moda”. Principalmente quando o assunto é obra ou reforma, já que todas elas causam impactos no meio ambiente.

Hoje o Brasil possui o quarto lugar com construções sustentáveis segundo o raking, LEED, ou Leadership in Energy and Environmental Design (divulgado pela U.S. Green Building Council), ferramenta que fornece parâmetros para a criação de espaços saúdaveis, eficientes e econômicos.

O arquiteto e urbanista, Marcos Neves comenta que a procura por projetos corretos para o meio ambiente tem aumentado entre os clientes. “A procura por projetos sustentáveis tem crescido cada vez mais, porque as pessoas estão vendo a necessidade e os benefícios que a sustentabilidade traz. A conscientização cresce cada vez mais em preservar o meio ambiente, por que se sabe que atinge também o ser humano se o mesmo não se preocupar com meio ambiente”, diz.

Para o arquiteto Marcos Neves a sustentabilidade e a arquitetura andam juntas hoje em dia. “É possível de ter um desenvolvimento sustentável da arquitetura sim, porque a arquitetura é arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividades humanas, com isso encontrarem formas para melhor bem estar, e a sustentabilidade exerce um papel fundamental, porque se compromete a buscar alternativas viáveis para promover o bem estar das pessoas sem agredir o meio ambiente. Nisso percebemos o casamento da arquitetura com sustentabilidade”, destaca.

Considerando o crescimento dos impactos negativos das ações do homem sobre a natureza e a preocupação com a escassez de recursos naturais para as gerações futuras a palavra sustentabilidade virou “moda”. Principalmente quando o assunto é obra ou reforma, já que todas elas causam impactos no meio ambiente.

Hoje o Brasil possui o quarto lugar com construções sustentáveis segundo o raking, LEED, ou Leadership in Energy and Environmental Design (divulgado pela U.S. Green Building Council), ferramenta que fornece parâmetros para a criação de espaços saúdaveis, eficientes e econômicos.

O arquiteto e urbanista, Marcos Neves comenta que a procura por projetos corretos para o meio ambiente tem aumentado entre os clientes. “A procura por projetos sustentáveis tem crescido cada vez mais, porque as pessoas estão vendo a necessidade e os benefícios que a sustentabilidade traz. A conscientização cresce cada vez mais em preservar o meio ambiente, por que se sabe que atinge também o ser humano se o mesmo não se preocupar com meio ambiente”, diz.

Para o arquiteto Marcos Neves a sustentabilidade e a arquitetura andam juntas hoje em dia. “É possível de ter um desenvolvimento sustentável da arquitetura sim, porque a arquitetura é arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividades humanas, com isso encontrarem formas para melhor bem estar, e a sustentabilidade exerce um papel fundamental, porque se compromete a buscar alternativas viáveis para promover o bem estar das pessoas sem agredir o meio ambiente. Nisso percebemos o casamento da arquitetura com sustentabilidade”, destaca.

O arquiteto explica que há elementos sustentáveis que são criados para causar um menor impacto ao ambiente. “Existem diversos elementos sustentáveis, entre eles encontramos a substituição de materiais de maior impacto pro meio ambiente por outros que causam menor impacto, como por exemplo, o tijolo tradicional (muito utilizado no mercado) pelo  tijolo ecológico que adquire sua resistência através da compactação por uma prensa hidráulica, dispensando a queima durante sua fabricação. Além disso, eles têm furos em seu corpo para que eles possam ser encaixados, reduzindo o consumo de argamassa durante a construção”, conta.

Marcos destaca que o reaproveitamento da água é um dos pilares quando se fala de arquitetura sustentável. “Outro elemento também importante é o reaproveitamento da água, como por exemplo, a captação de águas das chuvas através de cisternas ligadas a calhas do telhado (se a edificação for uma casa) com essa água é possível aproveitar para varias coisas como limpezas domésticas, lavar calçada, regar jardins  e pelo que acompanhamos  nos dias atuais é de super importância olharmos com atenção essas alternativas apresentadas”.

Marcos Neves ainda dá algumas dicas sobre como montar um projeto sustentável. “buscar-se sempre novidades que surgem no mercado como alternativas sustentáveis porque sempre está surgindo coisas novas e colocar-se sempre como prioridade na elaboração do projeto a preservação do meio ambiente, buscando sempre os elementos sustentáveis, porque ela com certeza lhe retribuirá dando alternativas para construções sustentáveis e ate mesmo resultando em obras com menores custo ao cliente e com maior eficiência e durabilidade”, finaliza.

Considerando o crescimento dos impactos negativos das ações do homem sobre a natureza e a preocupação com a escassez de recursos naturais para as gerações futuras a palavra sustentabilidade virou “moda”. Principalmente quando o assunto é obra ou reforma, já que todas elas causam impactos no meio ambiente.

Hoje o Brasil possui o quarto lugar com construções sustentáveis segundo o raking, LEED, ou Leadership in Energy and Environmental Design (divulgado pela U.S. Green Building Council), ferramenta que fornece parâmetros para a criação de espaços saúdaveis, eficientes e econômicos.

O arquiteto e urbanista, Marcos Neves comenta que a procura por projetos corretos para o meio ambiente tem aumentado entre os clientes. “A procura por projetos sustentáveis tem crescido cada vez mais, porque as pessoas estão vendo a necessidade e os benefícios que a sustentabilidade traz. A conscientização cresce cada vez mais em preservar o meio ambiente, por que se sabe que atinge também o ser humano se o mesmo não se preocupar com meio ambiente”, diz.

Para o arquiteto Marcos Neves a sustentabilidade e a arquitetura andam juntas hoje em dia. “É possível de ter um desenvolvimento sustentável da arquitetura sim, porque a arquitetura é arte e técnica de organizar espaços e criar ambientes para abrigar os diversos tipos de atividades humanas, com isso encontrarem formas para melhor bem estar, e a sustentabilidade exerce um papel fundamental, porque se compromete a buscar alternativas viáveis para promover o bem estar das pessoas sem agredir o meio ambiente. Nisso percebemos o casamento da arquitetura com sustentabilidade”, destaca.

O arquiteto explica que há elementos sustentáveis que são criados para causar um menor impacto ao ambiente. “Existem diversos elementos sustentáveis, entre eles encontramos a substituição de materiais de maior impacto pro meio ambiente por outros que causam menor impacto, como por exemplo, o tijolo tradicional (muito utilizado no mercado) pelo  tijolo ecológico que adquire sua resistência através da compactação por uma prensa hidráulica, dispensando a queima durante sua fabricação. Além disso, eles têm furos em seu corpo para que eles possam ser encaixados, reduzindo o consumo de argamassa durante a construção”, conta.

Marcos destaca que o reaproveitamento da água é um dos pilares quando se fala de arquitetura sustentável. “Outro elemento também importante é o reaproveitamento da água, como por exemplo, a captação de águas das chuvas através de cisternas ligadas a calhas do telhado (se a edificação for uma casa) com essa água é possível aproveitar para varias coisas como limpezas domésticas, lavar calçada, regar jardins  e pelo que acompanhamos  nos dias atuais é de super importância olharmos com atenção essas alternativas apresentadas”.

Marcos Neves ainda dá algumas dicas sobre como montar um projeto sustentável. “buscar-se sempre novidades que surgem no mercado como alternativas sustentáveis porque sempre está surgindo coisas novas e colocar-se sempre como prioridade na elaboração do projeto a preservação do meio ambiente, buscando sempre os elementos sustentáveis, porque ela com certeza lhe retribuirá dando alternativas para construções sustentáveis e ate mesmo resultando em obras com menores custo ao cliente e com maior eficiência e durabilidade”, finaliza.

O arquiteto explica que há elementos sustentáveis que são criados para causar um menor impacto ao ambiente. “Existem diversos elementos sustentáveis, entre eles encontramos a substituição de materiais de maior impacto pro meio ambiente por outros que causam menor impacto, como por exemplo, o tijolo tradicional (muito utilizado no mercado) pelo  tijolo ecológico que adquire sua resistência através da compactação por uma prensa hidráulica, dispensando a queima durante sua fabricação. Além disso, eles têm furos em seu corpo para que eles possam ser encaixados, reduzindo o consumo de argamassa durante a construção”, conta.

Marcos destaca que o reaproveitamento da água é um dos pilares quando se fala de arquitetura sustentável. “Outro elemento também importante é o reaproveitamento da água, como por exemplo, a captação de águas das chuvas através de cisternas ligadas a calhas do telhado (se a edificação for uma casa) com essa água é possível aproveitar para varias coisas como limpezas domésticas, lavar calçada, regar jardins  e pelo que acompanhamos  nos dias atuais é de super importância olharmos com atenção essas alternativas apresentadas”.

Marcos Neves ainda dá algumas dicas sobre como montar um projeto sustentável. “buscar-se sempre novidades que surgem no mercado como alternativas sustentáveis porque sempre está surgindo coisas novas e colocar-se sempre como prioridade na elaboração do projeto a preservação do meio ambiente, buscando sempre os elementos sustentáveis, porque ela com certeza lhe retribuirá dando alternativas para construções sustentáveis e ate mesmo resultando em obras com menores custo ao cliente e com maior eficiência e durabilidade”, finaliza.

Previous Terapia para todos: Psicóloga oferece atendimento gratuito para população carente
Next ANP faz consulta pública para reduzir enxofre em combustível marítimo