Você sabe o que é Marketing Pessoal?


Shirley Vidal, especialista em marketing (Fotos: Divulgação/Anne Pacheco)

Especialista explica que a forma como você se apresenta pode abrir ou fechar portas

Hoje, muito se fala sobre a importância do marketing para as empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Recursos são empenhados todos os meses para que as empresas se comuniquem da melhor forma com os seus clientes e cada vez mais profissionais da comunicação se especializam nesse ramo. No entanto, pouco se fala sobre o marketing pessoal dos profissionais e como isso pode abrir ou fechar portas no mundo dos negócios.

Segundo Shirley Vidal, que há 10 anos trabalha fazendo treinamento de mídia e prestando consultoria a empresários, com o marketing pessoal o profissional poderá dar uma guinada na carreira a partir do momento em que ele é reconhecido como fonte segura de informações sobre o tema que domina.

Em entrevista ao CINFORM, Shirley falou um pouco mais sobre o que é o marketing pessoal e a sua importância em um mundo cada vez mais conectado.

CINFORM – Antes de começarmos a falar sobre a sua importância, o que é marketing pessoal?

Shirley Vidal – É uma linha que sempre existiu dentro do conceito amplo de marketing. No marketing pessoal, os profissionais seguem um modelo de como influenciar pessoas através de suas próprias experiências de vida, formação acadêmica e relações que desenvolvem ao longo da carreira. No marketing de busca, estes profissionais se destacam por segmentação. Ou seja, quem são os especialistas sobre determinado assunto? Com o marketing pessoal o profissional poderá dar uma guinada na carreira a partir do momento em que ele é reconhecido como fonte segura de informações sobre o tema que domina. Na mentoria, nós ajudamos a planejar esses passos e criar uma marca de valor pessoal. Então, você é sua própria marca.

Qual a importância do marketing pessoal para os empresários e também para profissionais em geral?

SV – Ser relevante e um profissional reconhecido da sua área para, assim, abrir um leque de oportunidades. Não apenas isso, mas está aí embutido os valores, missão e visão da própria marca pessoal. Os clientes buscam empatia pelo ser humano, não apenas o profissional. As pessoas querem saber também se o que você fala, pratica de fato. Então não é criar um roteiro de novela, mas revelar os melhores aspectos que o diferenciam no seu nicho.

Por que muitos empresários se preocupam tanto com o marketing de suas empresas e esquecem de cuidar da sua própria apresentação?

SV – Isso é um engano muito comum. Fulano da empresa X representa a marca da própria empresa, não está dissociado. As opiniões sobre aquela determinada pessoa refletem no negócio. Um bom profissional geralmente é um bom ser humano. Vivemos uma era de ativismo social muito mais rápido, por conta das mídias sociais. Então às vezes a crise de imagem de uma empresa pode ser gerada pela péssima imagem de quem a lidera. 

Quais os principais erros cometidos pelos empresários em suas apresentações?

SV – O principal equívoco é achar que sua vida pessoal não influencia na profissional. Emitir opiniões sem convicções concretas ou postar situações que fragilizam seu negócio e marca pessoal, seguem na lista. Em geral, todos nós não tivemos uma educação socioemocional na grade curricular que aí está. Então buscar esse equilíbrio é fundamental.

Como os empresários podem buscar ajuda para melhorar a sua apresentação?

SV – Minha carreira como assessora de comunicação empresarial me deu um respaldo de atender mais de 100 executivos em treinamento de mídia ao longo de 10 anos. Então lidar com inseguranças e cuidar da imagem de organizações e seus líderes sempre fora um terreno conhecido. Com a mentoria individual, planejamos juntos, busco entender os objetivos de carreira do profissional para, assim, criarmos estratégias de curto, médio e longo prazos. Este trabalho tem um campo misto de atuação em digital e ações presenciais. Ou seja, onlife, onde a partir da tela se criam oportunidades comerciais reais.

Previous Suspeita de fraudes nos Jogos da Primavera
Next Entrevista: Carlos Martins, chefe do Departamento de Engenharia da UFS