Alcivan Menezes ganha direito de não usar tornozeleira eletrônica


O advogado e ex-vereador de Aracaju Alcivan Menezes ganhou o direito de não utilizar a tornozeleira eletrônica e também não precisa mais ficar em prisão domiciliar no período noturno. A determinação é da juíza Bruna Aparecida de Carvalho Caetano, da 3ª Vara Criminal de Aracaju, atendeu solicitação do advogado Saulo Henrique Caldas.

No entanto, a juíza determinou algumas medidas cautelares, como a obrigação do ex-vereador se apresentar à Vara Criminal para justificar suas atividades, não se ausentar do estado sem autorização judicial, não frequentar a Câmara Municipal de Aracaju e não manter contato com os demais envolvidos na investigação policial.

Além de Alcivan Menezes, a Operação Indenizar-se investigou os então vereadores Adriano Taxista (PSDB), Agamenon Sobral (PHS), Agnaldo Feitosa (PR), Anderson de Tuca (PRTB), Jailton Santana (PSDB), Augusto do Japãozinho (PRTB), Valdir Santos (PT do B), Ivaldo José (PRTB), Max Prejuízo (PSB), Daniela Fortes (PEN), Gonzaga de Santana (PMDB), Emmanuel Nascimento (PT), Roberto Moraes (SD), Renilson Félix (DEM) e Adelson Barreto Filho (PR).

Após as investigações do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (DEOTAP), eles foram acusados de desviar verbas da Câmara de Aracaju.

Previous Bolsonaro entre traições épicas e históricas; Comentário de Genésio Araújo Jr, nosso correspondente de Brasília
Next Congresso: violência contra a mulher é prioridade da bancada feminina