Capital Inicial lança clipe de “Parado no Ar”


Encerrando o projeto audiovisual do álbum “Sonora”, Capital Inicial lança o clipe da faixa ‘Parado no Ar’, que conta com a participação da banda Scalene. Esta é a última canção do disco, composto por 11 faixas inéditas, a ganhar videoclipe. O curta, dirigido por Ferreristico, que já recebeu um prêmio das mãos de Tim Burton e por João Gabriel Jack, aposta na técnica do stop motion.

Para ilustrar a canção, Ferreristico – que também dirigiu o clipe da faixa ‘Invisível’ e João Gabriel Jack usaram pequenos pedaços coloridos de papel, em formatos diversos. Quadro a quadro, os fragmentos se combinam e montam figuras que se relacionam com a letra e o ritmo da música. O vocalista Dinho Ouro Preto falou sobre a produção: “o resultado é uma leveza quase poética. O clipe é simultaneamente simples e complexo. Ele é inovador e corajoso. O Jack e o Ferreristico souberem apresentar algo singular”.

Dinho também falou sobre a trajetória audiovisual do disco: “o Capital fez um clipe para cada música do álbum ´Sonora´. Nunca tínhamos feito algo parecido em quase quarenta anos de estrada. É um desafio imenso por vários motivos. Na minha opinião, o maior deles é a criação. Como bolar 11 clipes diferentes? Como não se repetir? Como fugir do lugar comum? Descobrimos a reposta para essas perguntas procurando jovens novos talentos. Conhecemos vários diretores novos, cheios de ideias e entusiasmo. Acabamos sendo levados em direções inesperadas e surpreendentes”.

‘Parado no Ar’, com composição de Dinho Ouro Preto, Flávio Lemos e Alvin. ‘L’ é a música que abre o álbum “Sonora”. A canção mostra, de cara, a frequência sonora que o disco segue, com a presença certeira da banda Scalene. Trata-se de um rock que, num primeiro momento, parece caminhar para a leveza, mas logo ganha intensidade e uma pegada pesada.

Assista o trailer no link a seguir:


http:// https://www.youtube.com/watch?v=169RqkB3qVQ

Previous Fux nega que haja crise institucional entre STF e MP
Next Ciclone Idai atinge Moçambique: 90% da cidade da Beira são destruídos